Tratamento de Cetamina

O QUE É CETAMINA E PARA QUE SERVE?

A cetamina, também conhecida como quetamina ou ketamina, é um medicamento utilizado como anestésico e analgésico, sendo capaz de aliviar e reduzir a dor. Seu uso é aprovado pelo U.S. Food and Drug Administration (FDA) e pela ANVISA. 

Atualmente, a infusão de cetamina tem sido estudada e aplicada no tratamento da depressão.

COMO A CETAMINA ATUA EM RELAÇÃO À DEPRESSÃO?

O uso da cetamina no tratamento da depressão é considerado off-label, ou seja, em caráter ainda experimental, embora já seja amplamente utilizada nos serviços de emergência dos Estados Unidos nos casos em que há risco de suicídio. Diversos estudos comprovaram sua eficácia e segurança; alguns demonstraram que, em apenas 24 horas após a injeção intravenosa em baixas doses, o paciente apresenta melhoras semelhantes àquelas obtidas após 2 meses de uso dos antidepressivos orais. 

O QUE É USO OFF-LABEL?

Um medicamento, quando aprovado pela ANVISA, é registrado para certas indicações, que são as informações que constam em sua bula. Para tal, o fármaco passou por experimentos a fim de comprovar sua eficácia e segurança.

Embora testado e aprovado, o medicamento continua a ser alvo de pesquisas, utilizado em caráter experimental para outras indicações que ainda não são registradas. Estas outras formas de utilização enquanto aguardam o registro para inclusão na bula são consideradas de uso off-label. Assim, mesmo sendo uma alternativa livre de riscos e capaz de gerar resultados garantidos, ainda aguarda a aprovação da ANVISA.

Recentemente, o FDA aprovou a escetamina, um novo medicamento com componentes da cetamina, para ser utilizada em casos de depressão resistente a medicação e aplicada por via intranasal. 

EM QUAIS TIPOS DE DEPRESSÃO PODE-SE USAR A CETAMINA?

A cetamina tem sido utilizada para:

1) Depressões graves com ideação suicida, em que há necessidade de ação rápida, já que os antidepressivos convencionais demoram no mínimo 3 semanas para início de ação;
2) Depressão de difícil remissão medicamentosa ou com refratariedade de tratamento;
3) Depressão bipolar.

QUANDO O USO DA CETAMINA NÃO É RECOMENDADO?

1) Transtornos psicóticos;
2) Hipertireoidismo descompensado;
3) Problemas cardiológicos graves e instáveis, desde hipertensão arterial até arritmias cardíacas descompensadas;
4) Dependência química.

COMO É FEITA A INFUSÃO DE CETAMINA?

O procedimento é realizado em ambiente de clínica médica e/ou ambulatorial, com monitoração cardíaca, de pressão arterial, eletrocardiograma e oxímetro.

As doses de cetamina aplicadas são muito inferiores às doses anestésicas da medicação. O tempo de infusão é mais lento, o que diminui seus efeitos colaterais tidos como indesejáveis. O procedimento dura em torno de 40 a 90 minutos, e o paciente pode retornar logo após para sua casa, desde que acompanhado por familiares ou responsável.

Inicialmente são realizadas 4 sessões (2 vezes por semana) e, conforme a evolução clínica, a frequência de realização pode ser espaçada, tornando-se semanal, quinzenal e mensal.

QUAIS OS POSSÍVEIS EFEITOS COLATERAIS DA CETAMINA?

Os efeitos colaterais mais comuns são: sonolência; agitação psicomotora; despersonalização (sentir-se diferente, alheio); taquicardia; aumento transitório de pressão arterial e náuseas.

O QUE É NECESSÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DO PROCEDIMENTO?

Indicação formal do médico psiquiatra do paciente, realização de exames laboratoriais solicitados, avaliação cardiológica, avaliação anestésica e consentimento informado.

Caso esteja em dúvida sobre este procedimento, os profissionais da equipe Biomente estão à sua disposição para explicar as etapas do tratamento e responder suas dúvidas. Não hesite em nos contatar.

Quero mais informações

Quero receber o retorno por:

E-mail

equipebiomente@gmail.com

Telefone

(65) 99810-1000