Psiquiatra: vida de ostentação nas redes contribui para depressão

Por Equipe Biomente
08/11/2019 · Notícias

Instagram, Facebook, ostentação, imagem perfeita, felicidade a todo custo, imediatismo. O estilo de vida conectado às redes sociais é uma das justificativas do aumento da taxa de suicídio entre jovens no Brasil. A constatação foi feita pelo psiquiatra Carlos Renato Periotto.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que o índice de suicídio a cada 100 mil habitantes aumentou 7% no país. Conforme o relatório de 2016, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 24 anos.

Para o médico, o estilo de vida urbanizado e tecnológico tem contribuído para o desenvolvimento de doenças mentais como a depressão.

“O estilo de vida atual, mais urbanizado, está levando, do ponto de vista psicológico, às coisas mais impulsivas, mais imediatistas, mais midiáticas. Tudo envolve a mídia, a publicação, a ostentação no Facebook, a imagem, o que leva à privação de sono, a um estado crônico de estar cansado, fadigado, de você estar com cortisol elevado e ser mais propício a um quadro depressivo por estar sobrecarregado mentalmente”, explicou Periotto.

 

Continue lendo.

Fonte: MidiaNews